Pinturas de Armanda Passos, minha pintora preferida.

terça-feira, 5 de abril de 2011

NÁUFRAGO

No entardecer
Misturam-se as cores do arrebol
Espalhado sobre as águas calmas
De uma casual utopia…


Do sereno
As lágrimas se pranteiam
E fria a lua da noite se apossa
Do véu no céu azulado
E como encanto
Passeia por sobre os mares!

O vento alvoraçando as vagas
Ondula no meu olhar sereno,
Preso na escuridão do mar
Além…
Enquanto a saudade
No meu peito navega:


Eis em mim um náufrago
De ninguém que se apega
A escombros fragmentados de solidão,
Buscando distante
Da imensidão que de mim se afasta,
O brilho do teu olhar
Qual farol piscante ao longe
Que de mim se despede…
E depois se apaga!

Sem comentários:

Enviar um comentário